MAGAZINE

Escassez de mão de obra impulsiona aumento de custos na construção civil em Portugal

Estado com Arte Magazine

A procura por remodelações e requalificações de casas aumentou 11% em 2024. A falta de mão de obra qualificada está a fazer subir os preços praticados pelo setor da construção, que não está a conseguir dar resposta ao aumento da procura por remodelações e obras de requalificação nas casas dos portugueses, revela uma análise da plataforma de contratação de serviços Fixando, que inquiriu dezenas de empresas do setor.

A indústria da construção em Portugal reconhece que a dificuldade em contratar pedreiros, carpinteiros, canalizadores ou eletricistas, cria entraves às empresas do setor, que se traduzem numa subida dos custos da sua operação que, por sua vez, se traduzem em aumentos nos preços praticados junto dos clientes.

“A tendência, enquanto não existir mais mão de obra qualificada e diminuição dos preços das matérias-primas, será do aumento paulatino dos preços de construção e remodelação”, avança o arquiteto e perito em projetos de remodelações Ricardo Dias, de Torres Vedras.

De acordo com a análise da Fixando, esta escassez de profissionais da construção está a limitar a capacidade das empresas de responder a um aumento da procura, que, para além dos custos mais elevados, tem resultado também em atrasos nas obras.

A Fixando avança que, desde o início do ano, os pedidos recebidos para obras em habitações subiram 11%, comparativamente com o período homólogo, e, em 2023, a procura por estes serviços já tinha crescido 29% face ao ano anterior.

A justificar este aumento na procura por remodelações e obras de requalificação nas casas dos portugueses, estão a preocupação crescente das famílias com a eficiência energética, a necessidade de adaptar os espaços residenciais ao teletrabalho e ainda o interesse em recuperação das casas para posterior venda, tratando-se assim de investimentos estratégicos no mercado imobiliário.

“O problema da pobreza energética está muito presente nas famílias portuguesas que vivem em imóveis mais antigos. Casas frias e húmidas, sem vidros duplos nas janelas, com maus isolamentos, são problemas muito comuns e que levam a uma procura crescente por obras de requalificação”, explica Alice Nunes, diretora de novos negócios da Fixando.

Partilhar

Talvez goste de..

Apoie o Jornalismo Independente

Pelo rigor e verdade Jornalistica